The Joomla! Community Magazine™

Perfil da Indústria Brasileira no Brasil

Written by | Tuesday, 01 January 2013 00:00 | Published in 2013 January
Desde 2005 utilizando a ferramenta e acompanhando o crescimento dos usuários (comunidade) do CMS Joomla, no Brasil, resolvi obter um panorama da "indústria joomleira" a partir do convite recebido para atuar como curador da Sala 3 – Conteúdo, SEO e Mídias Sociais no Joomla! Day Brasil 2012 (JDBR12). Realizei uma pesquisa exploratória e semi-estruturada para identificar o cenário tupiniquim em torno da ferramenta. Até então não existia qualquer dado que pudesse revelar o perfil dos usuários e/ou nortear estratégias mercadológicas.

Por Rogério Costa | @matofino

Em um cenário onde 40% das empresas brasileiras não possuem site, mas pretendem criar nos próximo 12 meses (CGI/CETIC, out/2011-jan/12) e o marketing digital ganha força, resta saber: a "indústria joomleira" está preparada para atender este mercado?

Empresas que possuem site no Brasil

Desde 2005 utilizando a ferramenta e acompanhando o crescimento dos usuários (comunidade) do CMS Joomla, no Brasil, resolvi obter um panorama da "indústria joomleira" a partir do convite recebido para atuar como curador da Sala 3 – Conteúdo, SEO e Mídias Sociais no Joomla! Day Brasil 2012 (JDBR12). Realizei uma pesquisa exploratória e semi-estruturada para identificar o cenário tupiniquim em torno da ferramenta. Até então não existia qualquer dado que pudesse revelar o perfil dos usuários e/ou nortear estratégias mercadológicas.

A pesquisa

O objetivo era mapear o perfil da "indústria joomleira" no Brasil e apresentar os resultados no JDBR12. Ao todo foram 170 entrevistas respondidas em 21 estados brasileiros. A pesquisa foi realizada nos meses de Janeiro e Fevereiro de 2012.

Dados da pesquisa Joomla!

Os resultados

Com relação a experiência e profissionalização dos entrevistados que utilizam o CMS de forma profissional, revelou-se que:

  • 72% utilizam o CMS há três anos ou mais;
  • E apenas 13% afirmaram ter domínio técnico satisfatório sobre o CMS Joomla.

Quanto da prestação de serviços seja para criação de sites, suporte, consultorias e afins:

  • 43% dos entrevistados atendem clientes apenas no estado onde moram;
  • 57% atendem clientes em todo o Brasil.

A atuação profissional da "indústria joomleira" no Brasil ainda pode ser considerada informal. Os dados mostram que muitos usuários aprendem a utilizar a ferramenta de forma auto didata e poucos investem no conhecimento técnico complementar ou mesmo na gestão de projetos, conforme dados abaixo:

  • 46% trabalham como freelancers;
  • 17% atuam como consultores;
  • 23% trabalham em agências;
  • 23% dos entrevistados conseguem manter o cliente ativo por mais de três anos.

Áreas de atuação da comunidade joomleiraAs três principais profissões exercidas pelos entrevistados antes de começar a utilizar o CMS Joomla são: TI (30%), Design (28%) e Programação (26%). Áreas com ênfase em desenvolvimento de sistemas web, experiência do usuário e planejamento somam apenas 28% entre o total de entrevistados.

É por isso que estimulamos os alunos pensarem, arquitetarem o site. Não basta apenas conhecer a ferramenta. Não se pode decorar uma casa sem que a estrutura tenha comtemplado a tubulação e ferragens necessárias. Precisamos resolver problemas de marketing e ir além da publicidade.

A pesquisa também mostrou que muitas empresas, na maioria agências, investem em cursos de Joomla para que os funcionários possam ganhar tempo e produtividade no aprendizado podendo assim desenvolver os projetos da empresa.

Com relação aos canais preferidos para busca de informações e relacionamento, há quem diga que "precisamos de mais sites com qualidade e estratégia porque já viu muitos projetos nascerem e morrem por conta de brigas, ego, e claro, falta de estratégia" como afirma J.T., mas a pesquisa revela que o site oficial (joomla.org), Twitter, buscador Google e Fórum Oficial são as quatro opções mais utilizadas pela comunidade. Em relação aos eventos, 47% dos entrevistados afirmam frequentar eventos como Joomla! Day.

Mas como "nem tudo são flores", se considerarmos as médias do mercado digital brasileiro, os preços praticados por 70% dos entrevistados sobre desenvolvimento de projetos em Joomla ainda é um problema. Aliás, 40% destes 70% - que cobram até R$ 3.000,00 por projeto - indicam o preço como um problema na hora da venda e dizem que o mercado está "prostituído" por conta dos preços baixos. Um paradoxo, talvez?

Média de preços cobrado por projetos desenvolvidos com Joomla!

Por fim, quando o assunto é criação, 84% dos entrevistados afirmaram utilizar templates (layout) prontos comprados em clubes como Gavick, YooTheme e Joomlart. Mas segundo o entrevistado A.W., tem muita gente que não faz absolutamente nada e não tem coragem de abrir o código fonte para corrigir um bug e/ou mandar um path para o desenvolvedor e ainda reclama que não tem o componente tropicalizado e por fim se mostra insatisfeito quando o componente se torna pago.

A pesquisa também mostrou a necessidade da busca por qualificação profissional, carência de estratégia mercadológica, oportunidade de trabalho para quem detém o conhecimento, união entre os usuários da ferramenta e foco absoluto no desenvolvimento e evolução de soluções que elevem o nível não só da "indústria joomleira" mas também do mercado digital brasileiro como um todo.

O que prejudica a comunidade joomleira no Brasil?

 

Qual sua opinião?

  • Estamos preparados para atender 40% das empresas brasileiras não presentes na internet?
  • Somos Joomleirosou Artistas?
  • Podemos trocar o falar pelo fazer?

Este texto foi originalmente publicado no site do pesquisador.

Read 3161 times
Tagged under Portuguese (Brazil)
Rogério Costa

Rogério Costa

ROGÉRIO COSTA é publicitário e atua no mercado de Internet Marketing desde 2009. Antes disso, "freelava" com Web/HTML e design gráfico.Iniciou carreira como estagiário de criação (endomarketig), depois rumou para Agência Elementa (atual Amplementa), e por último, foi consultor SEM/SEO e facilitador de cursos (Joomla, WordPress, Google) na Agência Konfide. Já palestrou em diversas universidades e também no Joomla! Day Brasil (2010 e 2011) e, participou de diversos cursos e seminários nas áreas de design, tecnologia, vendas, marketing, gestão, desenvolvimento pessoal e empreendedorismo, dentre eles o EMPRETEC (ONU/SEBRAE). Trabalha atualmente com comunicação digital, experiência do usuário focada em negócios e treinamentos na Oibe Assessoria.

Language Switcher

Current Articles